CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > INFLAÇÃO DESACELARA EM MAIO, MAS ACUMULA ALTA DE 11,73% EM 12 MESES E PESA NO BOLSO

Inflação desacelara em maio, mas acumula alta de 11,73% em 12 meses e pesa no bolso

09/06/2022

Índice de maio ficou em 0,47% e alta do ano, até maio, em 4,78%, mas precos que haviam disparado como o do tomate e da cenoura continuam altos e a cebola subiu 21,36%

Escrito por: Redação CUT

 

 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do Brasil, subiu 0,47% em maio, o que indica desaceleração em relação a abril, quando o índice foi de 1,06%, mas os preços altos continuam pesando no bolso dos brasileiros, como indicam os números divulgados, nesta quinta-feira (9), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
A alta no ano, até maio, é de 4,78% e, em 12 meses - de maio do ano passado a maio deste ano –, é de  11,73%, a maior para o mês desde 2003, quando atingiu 17,24%. O acumulado em 12 meses ficou abaixo dos 12,13% registrados nos 12 meses anteriores, mas oito dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE registraram aumento em maio. E há nove meses seguidos a inflação anual está acima dos dois dígitos.
 
Os destaques do mês de maio foram as altas nas passagens aéreas, nas tarifas de ônibus urbanos e intermunicipais e a cebola, que registrou a maior variação positiva do IPCA no mês de maio, com alta de 21,36%.
 
 
Confira as maiores variações:
 
- Vestuário
 
O grupo registrou alta de 2,11%, influenciado principalmente pelos reajustes nos preços das roupas masculinas (2,65%), das roupas femininas (2,18%) e das roupas infantis (2,14%) e o calçados e acessórios (2,06%).
 
- Transportes
 
A alta neste grupo foi de 1,34%, impactada pelo reajustes nos preços das passagens aéreas (18,33%), que já haviam subido em abril (9,48%).; e das tarifas dos ônibus urbano (0,06%) e táxi (0,72%).
 
. Aracaju reajustou as passagens dos ônibus urbanos em 12%; São Paulo (41,51%); e Fortaleza (14,10%).
 
. Teve também reajustes Belo Horizonte (até 17%);  Aracaju (até 12,5%); e Porto Alegre (7,33%).  nas passagens, desde 14 de abril.
 
- Alimentos e bebidas
 
O grupo registrou desaceleração em relação a abril (0,48%), mas os preços que haviam disparado nos meses anteriores, continuam altos. Já o leite longa vida continua subindo, a alta em maio foi de 4,65% - alta acumulada no ano é de 28,03%.
 
O IBGE registrou queda nos preços do tomate (-23,72%) e da batata-inglesa (-3,94%). A cenoura também caiu (-24,07%), mas a variação acumulada do produto é 116,37% em 12 meses.
 
Alta dos combustíveis desacelera
 
Os combustíveis subiram 1% em maio contra (3,20%) em relação a abril.
 
Na gasolina, a alta passou de 2,48% em abril para 0,92% em maio.
 
Houve ainda queda no preço do etanol (-0,43%), que, em abril, havia subido 8,44%.
 
Já o óleo diesel registrou alta de mais de 3,72%.
 
Em 12 meses, a gasolina ainda acumula alta de 28,73%, o etanol, de 25,31%, e o diesel, de 52,27%.
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Conexão Sindical Condomínio Facebook Twitter Contracs Rede Brasil Atual Fenascera Fecesc Fetracom-DF Fetrace Fetracom-PB Fetracs Fetracs-RN Fetracs RS Fenatrad Fetracom/MS Fenadados

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br