CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > FORÇA-TAREFA INVESTIGA DOAÇÕES DE R$ 53 MILHÕES DE EMPRESA DIRIGIDA POR PAULO GUEDES A POLÍTICOS E PARTIDOS

Força-tarefa investiga doações de R$ 53 milhões de empresa dirigida por Paulo Guedes a políticos e partidos

11/10/2018

"Diretores/gestores dos fundos de pensão possam ter se consorciado com o empresário Paulo Roberto Nunes Guedes, controlador do Grupo HSM Brasil, a fim de cometerem crimes", diz a investigação

Escrito por: Redação Revista Fórum


Reportagem de Fábio Serapião e Luiz Vassalo, no jornal O Estado de S.Paulo, revela que a força-tarefa da Operação Greenfield, que investiga um desvio dos fundos de pensão, bancos públicos e estatais, investiga ‘eventuais conexões entre os aportes dos fundos de pensão e as doações da empresa Contax Participações S/A (registradas em R$ 53 milhões para partidos políticos e candidatos, entre 2008 e 2014) da qual, segundo o portal Bloomberg, o sr. Paulo Roberto Nunes Guedes era diretor’.

Formado em Chicago, aluno do economista ícone do neoliberalismo Milton Friedman, Paulo Guedes, é o principal assessor econômica de Jair Bolsonaro (PSL). Apelidado pelo capitão da reserva de “Posto Ipiranga”, o economista é cotado para comandar um super-ministério da Fazenda em um eventual governo do militar.

Segundo a reportagem, a investigação foi aberta com base em relatórios sobre dois fundos de investimentos (FIPs) administrado por uma empresa de Guedes que receberam R$ 1 bilhão, entre 2009 e 2013, de fundos de pensão de estatais. Também será apurada a emissão e negociação de títulos imobiliários sem lastros ou garantias.

A investigação apontam que há ‘relevantes indícios de que entre fevereiro de 2009 e junho de 2013, diretores/gestores dos fundos de pensão Funcef, Petros, Previ, Postalis (todas alvos da Operação Greenfield), Infraprev, Banesprev e FIPECQ e da sociedade por ações BNDESPar possam ter se consorciado com o empresário Paulo Roberto Nunes Guedes, controlador do Grupo HSM Brasil, a fim de cometerem crimes de gestão fraudulenta ou temerária de instituições financeiras equiparadas ‘e emissão e negociação de títulos mobiliários sem lastros ou garantias, relacionados a investimentos no FIP BR Educacional’.

Em nota, os advogados de Guedes negam qualquer fraude e dizem que a investigação tem como “principal objetivo confundir o eleitor”.

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Facebook Twitter Contracs Fecesc Fetrace Fetracom-DF Fetracom-PB Fetracs-RN Conexão Sindical Rede Brasil Atual

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br