CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > VALE NEGA SALÁRIO MÍNIMO A MORADORES E ASSUMIR DÍVIDAS DE PRODUTORES RURAIS EM BRUMADINHO

Vale nega salário mínimo a moradores e assumir dívidas de produtores rurais em Brumadinho

06/02/2019

O prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo (PV), afirmou que a cidade não recebeu nenhuma ajuda da Vale até o momento: "Eles vêm, dão entrevista e vão embora

Escrito por: Revista Fórum


Em reunião tensa com moradores nesta terça-feira (5) com 450 moradores e produtores rurais em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, representantes da mineradora Vale não aceitaram as reivindicações emergenciais, entre elas conceder auxílio de um salário mínimo mensal e assumir as dívidas dos produtores rurais obtidas com financiamento para as lavouras e plantações perdidas.

A negativa da empresa gerou revolta, tensão, gritos e discussões. A Polícia Militar teve de intervir para conter um princípio de tumulto entre pessoas ligadas à empresa e os moradores do Parque da Cachoeira, um dos bairros mais afetados pelo rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão.

Esta é a terceira reunião da comunidade com a Vale e os moradores esperavam uma resposta dos representes da mineradora sobre um pedido de reivindicações feito há mais de uma semana.

Além do salário mínimo e do pagamento das dívidas dos produtores ruais, os moradores ainda solicitaram doação de R$ 5 mil aos moradores do Parque da Cachoeira e meio salário mínimo a todo adolescente e 25% do salário mínimo por criança.

Os representantes da Vale disseram que não poderiam atender as reivindicações. Eles disseram que “precisam de informações para tomar a decisão” e “não têm autonomia para isso”.

Crime

O promotor estadual André Stern, um dos líderes da negociação com a mineradora, chegou a discutir com um advogado da Vale que chamou o rompimento da barragem de acidente.

“O Ministério Público não aceita que foi um acidente. Aqui, você não vai chamar de acidente. Foi um crime. Chame como quiser, mas não de acidente”, disse o promotor.

O prefeito de Brumadinho (MG), Avimar de Melo (PV), afirmou também nesta terça-feira (5) que desde que ocorreu o rompimento da barragem do Córrego do Feijão, da Vale, não recebeu nenhum apoio do governo federal.

“O porta-voz disse que ia ajudar com R$ 800 milhões e até agora nada. Nem em contato com o prefeito entraram”, disse Avimar em entrevista por telefone ao BuzzFeed News. “Eles vêm, dão entrevista e vão embora”, queixou-se ele.

 

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Aposentômetro Conexão Sindical Condomínio Facebook Twitter Contracs Rede Brasil Atual Fecesc Fetrace Fetracom-DF Fetracom-PB Fetracs-RN Fetracs Fetracs RS Fenatrad

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br