CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > PRESIDENTE DO SINDICATO DOS MARCENEIROS DE TABOÃO É ESPANCADO DENTRO DA ENTIDADE

Presidente do Sindicato dos Marceneiros de Taboão é espancado dentro da entidade

01/01/2011

Escrito por:

A vítima suspeita que a violência seja uma retaliação do sindicato que representa a categoria em São Paulo, fruto da disputa pelo imposto sindical.

Na tarde desta sexta-feira, (26), três homens armados invadiram o Sindicato dos Marceneiros de Taboão da Serra com o objetivo de espancar o Presidente da entidade, Edson Matias Santos.

Pela manhã, os três indivíduos haviam conversado com a vítima alegando terem sido demitidos de uma empresa da região e que precisariam de auxílio jurídico.  Como não portavam documentos, disseram que voltariam na próxima semana.

Por volta das 16h, enquanto Edson aguardava o advogado do sindicato para realizar uma assembleia com a categoria, sobre a pauta da campanha salarial, no Sindicato dos Químicos de São Paulo, os três elementos (que momentos antes haviam pedido auxílio jurídico) retornaram armados para iniciar a sessão de espancamento.

Edson recebeu coronhadas, socos e pontapés. Segundo a vítima, os agressores diziam que ele não iria morrer, mas que na próxima não escaparia. Para simular um assalto, roubaram celulares, documentos e notebooks. O caso foi registrado no Distrito Policial de Taboão da Serra.

Nesta segunda, (29), Edson Matias Santos esteve na sede da Central Única dos Trabalhadores. Com hematomas por todo o corpo e cortes no rosto, se diz assustado com a situação e acredita que a ação criminosa tenha sido encomendada pela diretoria do Sindicato dos Marceneiros de São Paulo. “Durante 22 anos fui Secretário Geral do Sindicato dos Marceneiros da capital que hoje é filiado a CTB. Por não aceitar a desfiliação à CUT e por uma série de divergências com a diretoria, saí do sindicato e decidi reativar o Sindicato dos Marceneiros de Taboão que antes era administrado pelo Sindicato de São Paulo, mas que não representava ninguém, só recolhia o imposto sindical e outras contribuições”, afirma

Edson salienta que o Sindicato dos Marceneiros de Taboão da Serra existia desde 1997, e que a entidade da capital apenas recolhia as contribuições compulsórias dos trabalhadores de Embu das Artes, Itapecerica da Serra, Embu-Guaçu, São Lourenço da Serra e Juquitiba, sem fazer a luta da categoria – o famoso “sindicato de gaveta”.

O Presidente do Sindicato de Taboão revela que o fim do recebimento do imposto sindical despertou a ira dos dirigentes de São Paulo. “Eles me acusavam de estar dividindo a categoria e a arrecadação. Eles diziam que caso eu não parasse com essa história, não iria assumir a presidência do sindicato”, desabafou.

Edson Matias Santos assumiu a presidência do Sindicato dos Marceneiros de Taboão da Serra no dia 13 de abril deste ano, e revela que seus filhos querem que o pai deixe o movimento sindical. “Meus filhos ficaram revoltados e pediram para que eu deixasse o sindicato, mas a minha vida é defender o trabalhador e por isso vou continuar”. 

Fonte: CUT-SP / Alexandre Gamón

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Conexão Sindical Condomínio Facebook Twitter Contracs Rede Brasil Atual Fenascera Fecesc Fetracom-DF Fetrace Fetracom-PB Fetracs Fetracs-RN Fetracs RS Fenatrad Fetracom/MS Fenadados

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br