CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > NAS PEGADAS DO TRABALHO ESCRAVO, A INFORMAÇÃO PODE LIBERTAR

Nas pegadas do trabalho escravo, a informação pode libertar

01/01/2011

Escrito por:

É possível que os artigos comuns do seu cotidiano, como celular, roupa, computador e outras dezenas de objetos possam ter passado por mão de obra escrava, independente da popularidade e credibilidade das marcas fabricantes. O fato, que pode ser chocante para alguns, é um alerta do site "Slavery Footprint" (algo como "Pegadas da Escravidão", em tradução livre), que mostra, a partir de dados informados pelo usuário, quantos escravos trabalham para que os itens cheguem ao seu consumo.

"Quantos escravos trabalham para você?", é a pergunta inicial do site. Baseado nos produtos que compramos, o site "calcula" o número de prováveis trabalhadores forçados que estão envolvidos na produção. Na definição do próprio site, é escravo todo o indivíduo que é forçado a exercer atividades sem remuneração, explorados economicamente e incapazes de deixar a situação. Imigrantes são particularmente vulneráveis​​, mas os indivíduos também podem ser forçados ao trabalho em seus próprios países.

Um dos objetivos dos organizadores do projeto é mostrar que, por maiores que sejam as empresas que produzem, muitas vezes a procedência dos materiais é desconhecida. "E o algodão de sua camisa? E o tântalo (que armazena energia no aparelho) daquele smartphone?", pergunta o texto do site. Contrariando quem imagina que escravos só são encontrados nos campos e minas, o "Slavery Footprint" mostra que o tipo de mão de obra é participante de toda a cadeia de suprimentos.

A reflexão proposta não pede que o consumidor deixe de comprar, ou que emerja sentimento de culpa. Para que o ciclo de produção completo seja esclarecido, seria necessária a participação popular para questionar às empresas e marcas de onde o material de seus produtos vêm, impondo a preocupação da produção livre. Não seria uma tarefa difícil.

Fonte: Rede Brasil Atual / Letícia Cruz

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Conexão Sindical Condomínio Facebook Twitter Contracs Rede Brasil Atual Fenascera Fecesc Fetracom-DF Fetrace Fetracom-PB Fetracs Fetracs-RN Fetracs RS Fenatrad Fetracom/MS Fenadados

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br