CONTRACS > LISTAR NOTÍCIAS > ACORDO ENTRE ZARA E MPT SOBRE REGULARIZAÇÃO DA MÃO DE OBRA É ADIADO

Acordo entre Zara e MPT sobre regularização da mão de obra é adiado

01/01/2011

Escrito por:

Confecção espanhola negou-se a pagar R$ 20 milhões em investimentos sociais e aceita arcar com 10% do valor. Ministério Público do Trabalho deve avaliar nova proposta

São Paulo – Foi adiada a tentativa de acordo entre a marca espanhola de roupas Zara e o Ministério Público do Trabalho (MPT), na quarta-feira (30). A confecção deveria assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), mas manteve a negativa de assumir a responsabilidade pela prestadora de serviços contratada que empregou mão de obra análoga à escravidão em São Paulo. A multinacional resiste ainda a investir o valor de R$ 20 milhões em ações de valorização social sugeridas pelo MPT.

A proposta dos representantes da Zara foi de investimento de R$ 2 milhões em ações para monitorar a cadeia produtiva e auxiliar os trabalhadores terceirizados. No entanto, a assinatura do termo ainda não tem previsão para ocorrer. A negociação do TAC arrasta-se pelo menos desde o início de novembro. Inicialmente, esperava-se que o termo fosse assinado no dia 18 e, depois, na quarta-feira. O procurador responsável pela tentativa de acordo, Luiz Carlos Fabre, deve avaliar a proposta da empresa em dez dias, para que então o processo tome um novo passo.

Em junho, fiscalização do MPT e do Ministério do Trabalho e Emprego flagrou 51 trabalhadores em situação análoga à escravidão, na cidade de Americana (SP), a 130 quilômetros da capital. Outra operação libertou 14 pessoas, todos bolivianos, em duas oficinas na própria cidade de São Paulo. Eles trabalhavam em um sobrado sem condições de segurança, sem chuveiro elétrico e em jornadas de até 15 horas por dia. A cada peça produzida, os trabalhadores recebiam R$ 0,20.

Fonte: Rede Brasil Atual

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Conexão Sindical Condomínio Facebook Twitter Contracs Rede Brasil Atual Fecesc Fetracom-DF Fetrace Fetracom-PB Fetracs Fetracs-RN Fetracs RS Fenatrad Fetracom/MS Fenadados

Todos os Direitos Reservados © CONTRACS
Sede: Quadra 1, Bloco I, Edifício Central, salas 403 a 406 | Setor Comercial Sul | CEP: 70304-900 | Brasília | DF
Telefone:(55 61) 3225-6366 | Fax:(55 61) 3225-6280
Subsede: Avenida Celso Garcia, 3177 | Tatuapé | CEP: 03063-000 | São Paulo | SP
Telefones:(55 11) 2091-6620 / 2091-2253 / 2092-5515 / 2225-1368 | Fax:(55 11) 3209-7496
www.contracs.org.br | contracs@contracs.org.br