quarta-feira, abril 24, 2024

Governo trabalha para implementar passagens aéreas a R$ 200

Leia também

O ministro dos Portos e Aeroportos, Márcio França, falou hoje (15) sobre o programa Voa, Brasil. A proposta inicial é de oferecer cerca de 12 milhões de passagens aéreas a preços baixos para aposentados, estudantes com fies e funcionários públicos com salários de até R$ 6,8 mil. França anunciou a proposta no fim de semana e, agora, o Voa, Brasil parece ganhar corpo. As passagens aéreas deverão custar R$ 200 o trecho e os passageiros ocuparão assentos ociosos de voos. De acordo com o ministro, as empresas Gol e Azul estão em fase avançada de negociação.

“Será uma revolução na aviação brasileira”, disse França. A medida servirá para incentivar turismo e serviços. As empresas sairiam beneficiadas da medida, ao passo que, em média, os aviões de viagens domésticas no Brasil partem com 20% de assentos vagos. O ministro ainda explicou que não haverá custos extras ao governo federal. “As empresas estão formatando as ideias de como vão propor isso. Pelo menos duas já toparam, a Gol e a Azul. E tenho certeza que a Latam vai topar”, disse.

O ministro prosseguiu. “Durante vários períodos do ano, elas operam com ociosidade mesmo. Se as empresas encontrarem jeito de fornecerem essas vagas para as pessoas a preços menores, temos que comemorar. É super positivo que façam isso, e nós do governo temos que incentivar.” Agora, além das companhias aéreas, a Secretaria Nacional da Aviação Civil trabalhará para viabilizar o projeto.

França falou sobre o tema durante reunião de lançamento da Frente Parlamentar de Portos e Aeroportos (FPPA), no Congresso Nacional. Ele deixou no ar a ideia de que pode ter se precipitado em anunciar o programa antes de maior debate com a Casa Civil. Contudo, ele afirma que discutiu a ideia na última sexta-feira, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e mais 50 pessoas.

 

Da redação do RBA

spot_img

Últimas notícias