sexta-feira, junho 21, 2024

O legado de Lula na luta contra a fome

Leia também

Por Julimar Roberto*

Esta semana, o Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV Social) divulgou uma importante notícia: os avanços na renda da população brasileira, a recuperação econômica e o aumento significativo de empregos durante o governo Lula levaram a uma redução histórica no índice de pobreza no Brasil.

Uma série de políticas sociais voltadas para os mais necessitados, com destaque para o programa Bolsa Família, tiveram um impacto transformador na vida de milhões de brasileiros em situação de vulnerabilidade, proporcionando acesso a uma renda mínima e garantindo o direito à alimentação para muitas famílias.

Além do Bolsa Família, o Governo Federal promoveu políticas de valorização do salário mínimo, investimentos em programas de segurança alimentar e incentivos à agricultura familiar. Essa visão abrangente do combate à fome incluiu não apenas medidas emergenciais, mas também ações de longo prazo voltadas para a promoção da inclusão social e o desenvolvimento sustentável.

O compromisso de Lula com a questão da fome não se limitou ao âmbito nacional. Em 2010, durante seu segundo mandato, o presidente brasileiro foi condecorado pela ONU com o título de ‘Campeão Mundial na Luta Contra a Fome’. Suas iniciativas tiveram um papel de destaque no debate global sobre segurança alimentar, garantia do acesso universal à alimentação e promoção de uma agricultura sustentável em todo o planeta. Graças à sua liderança nesse campo, o Brasil foi elevado ao status de referência mundial no combate à fome e à pobreza.

Com Lula, o Brasil saiu do Mapa da Fome em 2014, mas a situação se reverteu dramaticamente durante a gestão de Jair Bolsonaro. Segundo relatórios da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2022, nosso país voltou a figurar no Mapa da Fome, refletindo um aumento alarmante no percentual de brasileiros que viviam em insegurança alimentar. Durante o governo Bolsonaro, mais de 33 milhões de brasileiros enfrentaram a realidade cruel da fome diariamente, um cenário que ultrapassou a média mundial e evidenciou o cruel retrocesso enfrentado no período.

Mas os esforços de Lula no combate à fome não são apenas uma questão de política, mas sim de ética e humanidade. Ao priorizar a alimentação como um direito fundamental de todos os cidadãos, o presidente operário comprova seu compromisso inabalável com a justiça social e a dignidade humana. Seu legado nessa área continuará a inspirar gerações futuras a lutarem por um mundo mais justo e igualitário.

Frente a isso, é justo reconhecer e celebrar o papel fundamental do presidente Lula no combate à fome no Brasil e no mundo. Suas ações e sua visão visionária nos lembram que, juntos, podemos superar os desafios mais urgentes e construir um futuro mais inclusivo e sustentável para todos, todas e todes.

*Julimar é comerciário e presidente da Contracs-CUT

spot_img

Últimas notícias